segunda-feira, 26 de maio de 2008

Quem disse que há sentido em tudo?

Nada é por acaso... O fim justifica os meios... No fim, tudo dá certo, se não deu, é porque o fim ainda não chegou...

Frases como essas são usadas incansavelmente toda vez que queremos nos confortar por algo que não tenha dado certo ou quando precisamos de um incentivo para continuar lutando ou insistindo em algo que na verdade pode ser que nem valha a pena. Afinal de contas, será que tudo, tudo mesmo, tem que ter, ou melhor, precisa ter algum sentido no final?

Se eu voltar a fita de certas coisas que fiz na minha vida e colocar em uma lista tudo aquilo que não deveria ter feito, podem ter certeza que essa lista será enorme. Semana passada eu li uma frase que a principio parecia ridícula, mas depois de ler-la algumas vezes, percebi o que ela queria dizer. A Frase em questão é essa:

“Experiência é o nome que nós damos aos nossos próprios erros”.

Foi pensando nessa frase que a minha lista de erros tornou-se enorme, triste, mas completamente descartável, pois algumas “experiências” que tive na vida poderiam sem problema algum, não terem existido. Acho que posso até usar meu último namoro como exemplo claro desta minha teoria-sem-conspiração. Em um ano eu passei por coisas que já havia passado e aprendi outras que...sinceramente? Viveria bem melhor sem elas. É isso mesmo! Quem disse que eu queria ser mais forte? Ou mais esperto? Não podia simplesmente ter dado certo e ponto final? Mas nããããooo, pois assim como não existe nada meio quebrado, a gente quebra logo a cara inteira né!

Nessa história eu não aprendi nada que quisesse ou valesse a pena repetir. A dor dói, é ruim e pronto. Isso eu sempre soube, não precisava confirmar né? Decepção causa depressão e arrependimento! Essa eu também já sabia e também teria dispensado mais esta disciplina. Gostar demais é perigoso! Jura? Separações são dolorosas e traumáticas! E existe alguma que não seja? Enfim..se com meu namoro eu não aprendi nada que quisesse, com essa frase eu fiz escola!

Aprendi com ela, que nem tudo precisa ter um sentido no final. Que certas coisas simplesmente acabam na metade, do nada! Mesmo que a gente não queira, que tenhamos força para continuar a lutar, ainda sim, ela termina sem dar qualquer explicação. Porque a verdade é crua e mal educada mesmo, o sentido das coisas é que na verdade nem tudo faz sentido e que nem sempre há coerência nos fatos. O final não tem a obrigação de ser feliz ou de ser reconfortante, muito menos de valer a pena por qualquer esforço que a gente tenha feito.

Quando acaba, acabou! A gente não tem que fazer limonada de limão estragado, temos é que jogar tudo fora e arrumar outras frutas que de preferência sejam doces. Não há sentido em tudo, às vezes a culpa foi tua e às vezes dela. Ás vezes você deixou de ser amado, ou deixou de amar... Se desde que o mundo é mundo, os mais sábios e intelectuais vivem tentando descobrir o sentido da vida, mas não conseguem, o que faz você pensar que vai achar algum sentido no final de tudo?

Minha receita é viver a vida sem ficar procurando algo perdido no chão, mas estar preparado quando dermos de cara com uma nota bem gorda. O que significa ela estar ali? Não sei... Mas bora gastar com algo que nos dê prazer!

Um comentário:

andrade.luciana disse...

Algumas perguntas exigem resposta, outras ainda que respondidas em nada mudam nossas vidas.
Faz parte do ser humano o questionamento. Só não é sadio transformar esse questionamento em razão de viver.
Quanto a algumas experiências discordo de você. São necessárias sim e faz parte do processo de luto a negação. Principalmente a negação de sua importância. Já pensou se você não tivesse aprendido a andar? Ia viver engatinhando até hoje. Mas para andar quantas vezes quando você era bebe você não teve que cair de bunda no chão ou até mesmo de cara no chão?
Assim também é nosso emocional, temos que aprender aos poucos a sermos auto- suficientes nem que para isso tenhamos que dar com a cara no chão.
Mas nessa empreitada, o chão pode não ser tão duro quando está repleto de almofadas. Assim é a vida quando estamos cercados de amigos...